segunda-feira, abril 14, 2014
0
Gim Argello: Vou para o ringue!

Por: Walter Brito

A ressaca de Gim Argello, provocada pelo seu impedimento ao posto de ministro do TCU, foi curada ao lado do amigo governador Marconi Perillo, em Goiânia. A reportagem do Diário da Manhã falou com o vice-líder da presidenta Dilma, quando ele afirmou que sua pré-candidatura para a reeleição começará após a Semana Santa.

Vou descansar ao lado da minha família e recarregar as baterias. No dia 22 de abril, estarei na praça do DI em Taguatinga, visitando os amigos de infância e dizendo a todos de viva voz, que pretendo continuar o meu trabalho no Senado da República. Vou para o embate com José Roberto Arruda (PR) para governador, e Liliane Roriz (PRTB) como vice. Esta foi a chapa que selamos aqui na residência de meu amigo e governador Marconi Perillo. O trabalho que fiz nos últimos anos como senador em favor de Brasília, me credencia novamente a pleitear a vaga no Senado. A fé que tenho em Deus continua inabalável! É com essa fé e com reconhecimento do povo do Distrito Federal pela minha luta pelos brasilienses e brasileiros, que vamos enfrentar a poderosa máquina do governador Agnelo; bem como outros adversários que terão que mostrar o que foi que fizeram efetivamente pela nossa cidade-estado. Quando dois lutadores entram no ringue, cada um tem que mostrar suas habilidades. Eu estou pronto.”, arrematou Argello.

Menino pobre, nascido em São Vicente no estado de São Paulo, Gim foi criado em Taguatinga, quando ainda infante começou sua luta como líder estudantil, e logo depois militando na política partidária. Corretor de imóveiscompetente e articulador político nato, Gim chegou à Câmara Legislativa em 1998 e se reelegeu em 2002. Ele foi presidente da Câmara Legislativa do DF entre 2001 e 2002, quando construiu o edifício que abriga o parlamento candango. Na disputa de poder entre o ex-presidente do Supremo, o pedetista Maurício Corrêa e a tucana Maria de Lourdes Abadia para disputar o governo de Brasília em 2006 com o apoio do Roriz, Gim preferiu ser suplente de Joaquim Roriz. Com a renúncia de Roriz no Senado no dia 4 de julho de 2007, Gim tomou posse como senador. De lá pra cá, segundo o próprio parlamentar, ele fez mais leis e levou mais recursos para Brasília do que todos os senadores juntos, que Brasília já teve.

Faz parte do desempenho de Argello no Senado, a aposentadoria especial para deficientes; a concessão para exploração de serviços de táxi que passa de pai para filho, e beneficia 600 mil taxistas de todo o País; como também a lei de concessões e licenças de quiosques e bancas, que comercializam lanches, revistas, frutas ou outros produtos, transmitidas a seus herdeiros. Vale ressaltar que Gim foi relator do orçamento em 2011, quando consolidou o seu nome como um dos parlamentares mais poderosos do Brasil, ao lado de José Sarney, Renan Calheiros e Eduardo Braga. Argello é sem dúvidas, político brasiliense de maior prestígio, junto ao Governo Federal.

Segundo analistas da política brasileira, o seu impedimento para a vaga de ministro no TCU abalou o seu poder no Senado e também como pré-candidato à reeleição. Entretanto, o senador acha que a questão é momentânea, e a partir da primeira semana de sua caminhada visitando o povo de Brasília, mostrará o diferencial entre o seu trabalho e o trabalho dos adversários que combatem o seu nome. 

0 comentários:

Postar um comentário