quarta-feira, junho 25, 2014
0

Por: Walter Brito


Luciana Genro

Luciana Genro, filha do governador do Rio Grande do Sul, desde infante foi um show em casa e na escola. Ainda menina, discordava do pai e fazia política no colégio à sua maneira. Aos 43 anos ela já é uma política experimentada, pois passou pela Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul e Câmara Federal. Luciana foi lançada candidata oficial do PSOL à presidência da República, quando assumiu o lugar do senador Randolph Rodrigues (PSOL), que amarelou.Segundo os mais radicais do PSOL, a falta de coragem de Randolph, que não tinha nada a perder, pois tem mais quatro anos de mandato no Senado, perdeu a oportunidade de preparar o seu nome para o futuro. Acreditam que Randolph teria votação expressiva que agora será dada pelo povo brasileiro à filha rebelde do ex-ministro da justiça e, petista de proa, Tarso Genro.

A ainda jovem advogada gaúcha, Luciana, quer deixar os ricos menos ricos, por meio de uma revolução tributária nas grandes fortunas. Com o dinheiro tirado dos ricos, a filha rebelde almeja financiar o transporte público como ela viu na cidade de Colomers no interior da França. Em suas andanças pela Europa, a filinha do papai rico Tarso Genro, percebeu que em muitos lugares o transporte era gratuito, como na cidadezinha francesa de 32 mil habitantes. Outra localidade citada pela dublê de professora de inglês e advogada Luciana Genro, é a cidade Tallinn, capital da Estônia, onde o transporte público também é gratuito para os seus 420 mil munícipes. Lá, explica Luciana, só paga passagem de ônibus, os turistas que vão conhecer os encantos da antiga cidade medieval. Com a verve afiada e o discurso na ponta da língua, a gaúcha espera a Copa do Mundo acabar para sair pelo país, com sua caravana revolucionária, cujo objetivo é capitalizar as manifestações ocorridas Brasil afora. Nesse sentido, vale lembrar que o transporte gratuito é a reinvindicação dos manifestantes, mais fácil de ser assimilada por aqueles que ainda não sabem em quem votar para presidente. Como o percentual de indecisos é muito grande, bem como o de brancos e nulos; Luciana só precisa de um bom marqueteiro, que saiba avaliar os movimentos sociais, para crescer e ultrapassar em 30 dias de campanha, o Pastor Everaldo do PSC que pontua com 3% de intenção de votos. Vale lembrar, que o senador Randolph Rodrigues (PSOL), tinha menos de 1%, quando abandonou a corrida rumo ao Palácio do Planalto.

Como se sabe, Brasília é um grande laboratório para pesquisa eleitoral. Um exemplo clássico, foi a votação expressiva de Marina Silva em 2010, cujo total de votos no país chegou a casa dos 20 milhões. Em Brasília ela obteve 41%, onde foi a presidenciável mais votada. Portanto, Brasília indicou que ela teria boa votação em todo o país, mas faltou-lhe estrutura para que ela superasse José Serra do PSDB. O candidato do PSOL ao Governo de Brasília, o Toninho Psol, melhora sua performance a cada dia e é o quarto colocado, com 6,43% de intenção de votos, a frente da experiente deputada distrital Eliana Pedrosa (PPS), com 5,18%, na pesquisa do Instituto Directa/O Parlamento. Toninho obteve 200 mil votos na eleição de 2010 para Governador de Brasília. Nesse sentido, a candidatura de Luciana Genro tende a crescer na Capital Brasileira e em todo o país.

Por ironia do destino ela vai ajudar a impedir que a candidata de seu pai, a presidenta Dilma Rousseff, ganhe no primeiro turno. Além do discurso de candidata da verdadeira esquerda, Luciana é jovem, bonita e mulher. Portanto, Dilma que se cuide! Certamente, o papai Tarso, vai se lembrar muito da lei de sua conterrânea famosa e,ex-namorada de Pelé, Xuxa Meneguel.

0 comentários:

Postar um comentário