sábado, setembro 20, 2014
0

O candidato fala que as coligações de sua candidatura foram feitas sem a promessa de oferecimento de lugares na administração estadual. Essa é a terceira entrevista no CBN SP com candidatos a governador.

Paulo Skaf diz que Paulo Maluf decidiu apoiar Padilha no começo, mas o PP decidiu apoiar o PMDB . Neste caso, Maluf aceitou a mudança. Skaf diz que Maluf indica cargos no governo de Alckmin, mas segundo ele, no dele isso não vai acontecer. Além disso, o candidato do PMDB diz que vai reduzir de 26 para 13 o número de secretarias, cortando ainda pela metade o número de 2000 cargos comissionados. As secretarias de Gestão e Planejamento serão fundidas e o mesmo deve acontecer com a Segurança e Administração Penitenciária.

 O candidato do PMDB fala que nessa área da segurança é preciso reforçar a ideia de que é o governo do estado que é o responsável, ao invés de, segundo Sakf, ficar invisível, como faz Alckmin hoje: ' o que falta em São Paulo é firmeza mesmo. A população não sabe que quem cuida da segurança é o governador. Não adianta colocar o secretário, o coronel o delegado na frente. Presidente e prefeito não são responsáveis pela segurança. Isso é com o governador'.

O candidato do PMDB fala que uma forma de reduzir as desigualdades no estado é investir em educação: 'vou implantar o ensino integral de forma gradativa, em dez anos. Isso no fundamental e sem a progressão continuada, com escolas modernas. Para que todos tenham oportunidades em escolas com laboratórios, três refeições e esportes'. Para o ensino médio, o candidato do PMDB diz que as pessoas poderão ter a opção das Etecs e no ensino superior as Fatec.

 Skaf disse que tem três empresas. Uma delas mudou radicalmente de ramo, de têxtil para o setor da construção. Segundo o candidato do PMDB, isso prova que ele é um bom gestor: 'quando você sente que algo não é bom, você tem de redirecionar'.

Sobre mobilidade urbana, o candidato fala que o atual governador não investe na agilidade das obras em andamento: 'investimentos foram muito lerdos'. Skaf diz que vai fazer, em quatro anos, 70km de monotrilho e metrô. O dinheiro, segundo o candidato, virá de Parcerias Público-Privadas, as PPPs.

O candidato do PMDB se esquivou de falar se é, ou não, a favor da inspeção veicular estadual. Segundo Paulo Skaf, 'o projeto da inspeção tem de ser aprofundado em detalhes'. Segundo o candidato do PMDB é preciso dar força para o etanol no estado, para que ele possa ser uma opção mais ecológica nos veículos.

Fonte: CBN

0 comentários:

Postar um comentário