sexta-feira, novembro 17, 2017
0


Por: Walter Brito

A imprensa é o quarto poder na maioria dos países do mundo, o que é importante, pois a informação de qualidade é fundamental para o bem da humanidade. Em alguns lugares como o Brasil, a imprensa tem tanto poder que o ex-presidente Collor foi apeado da principal cadeira do Palácio do Planalto com dez jornais nacionais, veiculados pela então poderosa TV Globo. Os anos se passaram, o mundo evoluiu e a Nova Ordem Mundial democratizou a comunicação, onde em nosso país cada um que tem um celular tornou-se um comunicador importante. Prova disso ocorreu recentemente e para todo mundo ver, quando a ex-todo-poderosa televisão dos Marinho tentou derrubar o presidente Temer com mais de cem jornais nacionais mostrando o fundo do poço em que estaria o seu governo, enquanto o presidente brasileiro continua no cargo e, ao que tudo indica, cumprirá seu mandato até o final. Se a Globo continuasse poderosa como no passado, Luciano Huck já estaria na frente do Lula para presidente do Brasil.


A BUZINA DO NEGÃO INCOMODOU WAACK

Waack pediu desculpas, mas: Inês é morta!
O racismo é sem dúvidas um dos males de nossos tempos e não para de crescer! O importante jornalista Willian Waack, comunicador de proa e com folha de trabalho em diversos países do mundo, inclusive na Alemanha e nos Estados Unidos, mostrou que também é racista e não esconde de ninguém. Em vídeo que circula pelo mundo o autor de As Duas Faces da GlóriaCamaradasMister You BagdadO Livro Das Grandes ReportagensPolônia: A Crise de 500 dias que abalou o socialismo, entre outros artigos e reportagens importantes, mostra-se, infelizmente, como racista do primeiro time da elite brasileira. Waack disse em alto e bom som, referindo-se a um cidadão afro-americano, que teria usado a buzina de seu carro e o incomodado na hora de seu trabalho: “É coisa de preto mesmo, né?”, disse o jornalista.
Os países mais racistas do mundo, segundo as estatísticas são: Estados Unidos da América, Reino Unido, Austrália, Ruanda, Japão, Alemanha, Israel, Rússia, Paquistão, Índia, entre outros. Como se vê, o Brasil estrategicamente não se encontra entre os dez países mais racistas do planeta Terra, contudo, cientistas da questão são categóricos em afirmar que nosso país é efetivamente um dos mais racistas, inclusive disputando de igual para igual com os Estados Unidos da América. Apesar de o racismo aqui ocorrer de forma sofisticada e às escondidas, o mal nefasto que corrompe a humanidade é muito poderoso entre nós. Nesse sentido, alguns jornalistas com os seus dons dados por Deus evoluíram e se tornaram verdadeiros ícones do mundo material e muitos se sentem tão poderosos que se esquecem de que somos a união do mundo material com o espiritual. Vaidosos, desconhecem que determinados valores importantes, como o que diz que somos iguais, independentemente de nossas etnias, não são levados a sério. Claro, o jornalista de sucesso William Waack sabe de tudo isso, inclusive de que a raça humana é uma só! Nos estúdios da TV Globo, em frente à Casa Branca em Washington, nos EUA, ele fingiu que não sabia desta questão importante para os humanos.Com todo conforto e pensando que ninguém conheceria um dia sua verdadeira face, Waack mostrou-se por inteiro, apesar de imaginar que estaria protegido pelo Deus que ele pensa que é!


A IRA E A SOBERBA PARA WAACK CONHECER
Esperamos que ele conheça também os pecados capitais e, de forma especial, a Ira e a Soberba. Veja aí meu caro colega jornalista William Waack, o que diz a Wikipédia sobre os dois itens acima:
Ira
Conhecida também por cólera, é o sentimento humano de externar raiva e ódio por alguma coisa ou alguém. É o forte desejo de causar mal a outrem e um dos grandes responsáveis pela maior parte dos conflitos humanos no transcorrer das gerações. Sua virtude é o Perdão.
Soberba
A soberba (do latim superbia) é conhecida também como vaidade ou orgulho. Está associada a orgulho excessivo, arrogância e vaidade. A Soberba consiste em ser superior a todos, isso fez com que Lúcifer se sentisse mais alto que o próprio Deus.

Em paralelo, segundo o teólogo São Tomás de Aquino, a soberba era um pecado tão grande que ficava fora de série, devendo ser tratada em separado dos restantes pecados e merecendo atenção especial. Aquino tratava a questão da vaidade como sendo um pecado em separado, mas a Igreja Católica decidiu unir a vaidade à soberba, acreditando que neles havia um mesmo componente de vanglória, o que levaria ao seu estudo e ao seu tratamento conjuntos.

DEPOIMENTOS CONTRA WAACK
Artistas da TV Globo se mostram conscientes do racismo no Brasil e se posicionam contra a atitude de William Waack. Veja o que disseram os atores: Cris Vianna e Bruno Gagliasso:
Cris Vianna

A afrodescendente Cris Vianna defende sua etnia














"Quando o racismo 'velado' é REVELADO. É racismo sim", escreveu a atriz, que usou ainda as hashtags #racistasnãopassarão #racismoécrime.

Bruno Gagliasso e a filha Titi
Bruno Gagliasso que é pai de Titi, de seu casamento com Giovanna Ewbank, – e já denunciou comentários racistas feitos contra a filha nas redes sociais -, concordou com Cris. "Racista e machista. #Nãopassarão" comentou ele.

DIA DE ZUMBI E OS NEGROS NO PODER

Zumbi é símbolo de lutas, conquistas e vitórias da comunidade negra brasileira
No próximo dia 20 de novembro completam-se 322 anos que Zumbi dos Palmares foi assassinado, quando defendia o seu povo da escravidão. Mais de três séculos se passaram e as elites do país continuam a pensar que o povo negro que derramou seu sangue para a construção desta nação não tem nenhum valor. Está claro em quase todas as administrações dos governos brasileiros que, apesar da participação fundamental e importante da negritude na construção do país, os seus descendentes nunca participaram de forma efetivada administração do Brasil. Uma das raras exceções foi a presença de Joaquim Barbosa na presidência da Suprema Corte de nosso país.

Quando Joaquim Barbosa tomou posse como presidente do Supremo, os primeiros a cumprimentá-lo foram os seus familiares, sob o comando de sua mãe, a Dona Benedita da Silva. Ao lado, os atores globais Regina Casé, Milton Gonçalves.

Com o advento das redes sociais, eis que surge uma luz no fim do túnel, e a ainda poderosa TV Globo poderá tornar-se uma grande aliada para ajudar a acabar com o racismo nos quatro cantos de nosso país. Antenada com a força que as redes sociais detêm, a televisão dos Marinho não pensou duas vezes, quando viu a verdadeira face de William Waack mostrada mundo afora. Demitiu sem pestanejar o todo-poderoso Waack. Que a lição fique para todos aqueles que se escondem atrás do racismo disfarçado, muito em voga no Brasil, inclusive entre os nossos jornalistas mais importantes!
Lembrando o pensamento do filósofo inglês, John Stuart Mill, quando disse o seguinte: “A sociedade, quando faz as vezes do tirano, pratica uma tirania mais temível do que muitas espécies de opressão política, pois penetra nos detalhes da vida e escraviza a alma. Por isso é necessária a proteção contra a tirania da opinião e do sentimento dominantes.”
 Neste sentido, convido os brasileiros e brasileiras que se posicionam contra o racismo, para um grande buzinaço, nos quatro cantos do país, no dia 20 de novembro de 2017 (Dia de Zumbi), às 10 horas da manhã. Vamos dizer não ao Waack e aos racistas de plantão!

0 comentários:

Postar um comentário