terça-feira, janeiro 29, 2019
0
O governador de São Paulo João Doria e o senador Hélio José, quando participavam do Fórum de Davos na Suíça


Por: Walter Brito
O senador brasiliense Hélio José (PROS/DF) conclui no dia 31/1/2019 o seu mandato de quatro anos com muito trabalho prestado ao país. Segundo o senador gaúcho Paulo Paim (PT/RS), o representante de Brasília no Senado, o seu amigo Hélio José “é um homem de seu tempo e fruto que não caiu do pé. Ele seguiu os ensinamentos de seus pais”. Afirmou o senador petista, ao prefaciar o livro Hélio Trabalhador, que o senador do Pros lançou às vésperas de participar do Fórum de Davos, na Suíça.

O senador Hélio José, a caminho do Fórum de Davos na Suíça, quando posa com o livro de sua autoria!

Nesta matéria, analisamos com muita atenção o livro autobiográfico do parlamentar brasiliense que saiu da roça, estudou Engenharia Elétrica na UnB e coroou sua história de superação com um mandato de quatro anos, que ficou marcado com letras garrafais na Casa que um dia teve como um de seus protagonistas o baiano e jurista, conhecido internacionalmente como Águia de Haia, o inesquecível Ruy Barbosa.
Embora nascido no interior de Goiás, na cidade de Corumbá de Goiás, localizada nas cercanias de Brasília, distante 96 km do Palácio do Planalto, em linha reta; Hélio José passou sua primeira infância na Fazenda Lambari. Ele soube driblar as dificuldades de um menino pobre da zona rural e passar com dignidade pela cúpula do legislativo nacional sem arranhões, seguindo os conselhos que seu João da Silva, o seu saudoso pai, que ao lado de dona Vicentina, sua matriarca, hoje aos 90 anos, deixaram como legado para ele e os irmãos Wilson, Itamar, Iron, Ilderico, Ilzair, Hilda e Ilza, o seguinte ensinamento: “Sejam honestos e trabalhem de forma correta. Respeitem a todos, inclusive as limitações de cada um”. Foi isso que fiz, disse Hélio na apresentação de sua obra literária.
Hélio, que estudou numa escola de Taipa até os oito anos, chegou ao Senado depois de ingressar no serviço público por meio de concurso, quando exerceu sua profissão como engenheiro eletricista na Eletronorte e também na Companhia Energética de Brasília – CEB, onde ficou por 27 anos. Após esse período, Hélio foi para o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, exercendo a função de analista de Infraestrutura, sendo lotado no Ministério das Minas e Energia, no ano de 2008, onde é servidor licenciado. No Senado, o filho de Corumbá de Goiás se notabilizou como o senador que entre 2015 e 2018 recebeu centenas de pessoas em seu gabinete, mais que a soma dos outros 80 senadores, o que o fez dono de um mandato verdadeiramente popular!

Nesse sentido, o senador cita algumas ações a favor da população de Brasília e dos brasileiros em seu livro: “Fiz mais de 400 pronunciamentos em meu mandato a favor do desenvolvimento de nosso país; elaborei 235 proposições e relatei 185 matérias; fizemos a maior audiência pública que se tem notícia na história do Senado, referente à regularização fundiária, ocorrida no Auditório Petrônio Portela. Naquela ocasião tivemos o prazer de receber mil pessoas dentro do auditório e outras tantas que ficaram acompanhando do lado de fora, por falta de espaço. Fui o vice-presidente da referida Comissão, que teve o deputado Izalci Lucas (PSDB/DF) como presidente. Conseguimos beneficiar cerca de 1,5 milhão de pessoas, que agora têm o direito à escritura pública”.
 COORDENADOR DA BANCADA FEDERAL
Elogiado publicamente por seus pares, pelo trabalho feito como coordenador da bancada federal do DF, especialmente pelo senador José Antônio Reguffe (sem partido), o senador Hélio José escreveu em seu livro: “Aprovamos 300 milhões de emendas impositivas para a construção do Hospital do Câncer, do Viaduto do Recanto das Emas, do novo IML, bem como para três batalhões da Polícia Militar, além do investimento em nove escolas no DF.
ENERGIA PARA O DESENVOLVIMENTO PLENO DO PAÍS
"Fiz a defesa inconteste das energias alternativas, especialmente a energia solar. Fui o senador que mais incentivou a geração de energia solar no Brasil e no DF. Vale ressaltar que destinei as minhas primeiras emendas para a eficiência energética das unidades de educação e saúde do DF, com ênfase em equipamentos movidos a energia solar que tornem as escolas e os hospitais autossuficientes em eletricidade. Do mesmo modo defendi e aprovei emendas da bancada federal para instalação de energia solar na UnB. Como membro titular da Comissão de Infraestrutura do Senado, discuti de forma ampla, com um grupo de parlamentares, medidas para uma política nacional de geração de energia e, nesse sentido, conseguimos colocar no plano plurianual, na Comissão Mista de Orçamento da União, que fossem destinados recursos do BNDES para o desenvolvimento de energia limpa para o país”, escreveu, entre outras citações.
PREVIDÊNCIA
O senador Hélio José (PROS/DF) e o senador Paulo Paim (PT/RS),  quando apresentam o relatório da CPI da Previdência
"Esta foi sem dúvidas a maior batalha que travei dentro do Senado. Enfrentei um governo inteiro e o seu rolo compressor, quando desafiei e demonstrei as teses e argumentos de seu projeto mais importante. Foi o momento em que o menino livre da roça, o estudante da superação, o engenheiro desbravador, o sindicalista militante e o senador independente se encontraram. Fui com muita honra o relator da CPI da Previdência e me orgulho de ter comandado o referido trabalho, ao lado de nosso presidente, o senador pelo PT do Rio Grande do Sul, Paulo Paim, e mais cinco senadores titulares e cinco suplentes. Isto se deu entre os dias 26 de abril e 25 de outubro de 2017. No referido período, realizamos 33 reuniões da CPI e ouvimos 140 pessoas, quando mergulhamos fundo para revelar a verdade ocultada do povo. Foi a primeira vez em 92 anos que uma CPI investigou a caixa obscura para mostrar que aquela reforma, como estava, não poderia ser aprovada! Ao final, apresentei o relatório da CPI da Previdência com 253 páginas, no dia 23 de outubro de 2017, que foi lido por 11 horas esclarecendo que a Previdência Social brasileira não é deficitária. No dia 25 de outubro tive a felicidade de ver o nosso relatório aprovado por unanimidade”, escreveu o senador do DF, entre outros argumentos contundentes no seu livro Hélio Trabalhador.
POSIÇÕES A FAVOR E CONTRA: DILMA E TEMER!
De forma entusiasmada, o senador deixou marcado nas páginas de sua obra o seu trabalho feito sobre o Parlamento Latino Americano; as Rádios Comunitárias, que democratizam a comunicação; as suas posições a favor e contra os governos da presidente Dilma e Michel Temer. Já chegando no final de sua história de superação, no entretítulo Bom Combate, ele explica: "Durante quatro anos, o Senado foi a minha 'primeira' casa. Digo isso porque nesse tempo dediquei minha vida a ele! Essa causa me exigiu tempo, esforço, poucas horas de sono, renúncias e trabalho, muito trabalho". O senador e agora escritor Hélio José se despede dos seus leitores falando dos 16.529 votos conquistados para deputado federal, na eleição de 2018, o que não foram suficientes para ele continuar na briga pelo povo no Congresso Nacional.
O CARINHO PELA FAMÍLIA!

O senador Hélio José e a esposa Edy

Homem do interior e ligado aos amigos, aos companheiros de militância política e aos familiares, ele finaliza a sua bela história de lutas, conquistas e vitórias, dizendo o seguinte: “Estou feliz e com a satisfação do dever cumprido, sabendo que há muito o que fazer.  E muito agradecido a todos que caminharam e continuarão caminhando ao meu lado. Conto com o apoio das minhas queridas filhas, Maíra Virgínia, Isabela Tainá e Potira Gabriela que, junto com o meu querido filho Hélio Gabriel, me dão muito orgulho. Conto com minha maravilhosa esposa Edy, que é minha amiga e companheira de 33 anos, a quem dedico o meu amor, respeito e gratidão”. O senador Hélio José também agradece o saudoso pai por ter chegado ao topo da política nacional, por meio dos ensinamentos deixados por ele!
A NOVA ORDEM MUNDIAL EXIGE MUDANÇAS!
O mundo mudou e o Brasil também. A Nova Ordem Mundial exige comportamentos que mostrem as enormes diferenças entre um passado distante e preconceituoso, em que somente as elites dominantes participavam das decisões de um país de dimensões continentais como o nosso, e um presente onde é possível criar oportunidades iguais para os diversos segmentos de nossa sociedade! Certamente a educação de qualidade para todos, inclusive na zona rural, é fundamental para o avanço daqueles que não tiveram vez e voz. Neste sentido, o dia em que o filho do trabalhador estudar numa boa escola e junto com o filho do patrão; da mesma forma, o filho do negro, do índio, do amarelo e do branco; o mundo atenderá de fato e de direito o clamor de Martin Luther King, quando afirmou: Eu tenho um sonho. O sonho de ver meus filhos julgados por sua personalidade, não pela cor de sua pele.
Portanto, o livro, Hélio Trabalhador, é uma obra importante para ser mostrada em todos os rincões do Brasil, onde suas desigualdades nos envergonham! A leitura da obra escrita com emoção, carinho e foco pelo senador Hélio José permitirá a todo o povo brasileiro ter a certeza de que um menino pobre da roça pode, sim, chegar ao topo da política nacional, com honradez; prestar serviços relevantes ao país; servir de referência para a democracia brasileira e universal e, depois do dever cumprido,  seguir para casa sem máculas e com a satisfação de dizer aos seus familiares que A vida é um livro completo (Max Jacob). 
Próximo
Esse é o post mais recente
Postagem mais antiga

0 comentários:

Postar um comentário