sábado, maio 30, 2020
0

Adolfo Lopes e a companheira Palmelina
Adolfo Lopes e a companheira Palmelina

Por: Walter Brito

          Como sempre disse, eleição é coisa de profissionais. O grande estadista brasileiro, o criador do trabalhismo e saudoso presidente da República, Getúlio Vargas, foi o autor da máxima: Política é esperar o cavalo passar! Tancredo divididiu a autoria de outro pensamento com o conterrâneo, ex-senador e governador de Minas Gerais Magalhães Pinto: Política é como nuvem, você olha para cima ela está de um jeito, olha novamente e está completamente diferente. O médico e escritor Lair Ribeiro explica que o ser humano precisa de estar preparado para a hora certa. No pós-pandemia da covid 19, acredito firmemente que o povo será mais justo com aqueles que lutaram  incansavelmente pelo seu povo, que são capazes, não foram contemplados pela sorte, e ainda assim acreditam na volta por cima e na justiça divina.
          No Entorno de Brasília existem lideranças que acompanham o tempo passar com parcimônia e nunca quiseram o poder pelo poder. Embora políticos novos surjam a cada dia, falta-lhes competência, honestidade e caráter. Os primeiros, aos quais me refiro, o tempo passa e eles permanecem influenciando e ressurgem como uma Fênix. 
Dona Palmelina, o governador Ronaldo Caiado e líder Adolfo Lopes
Dona Palmelina, o governador Ronaldo Caiado e líder Adolfo Lopes

          Neste sentido, os poderosos que têm estrutura para eleger gestores públicos em Goiás e na Região Metropolitana de Brasília observam que os que estão no poder são passageiros, os novos que surgem, a maioria é de incompetentes, deslumbrados e sem compromisso com a Região. Por isso, figuras de expressão como os governadores Ronaldo Caiado (DEM/GO),  Ibaneis Rocha ( MDB/DF), respectivamente de Goiás e DF, e o senador  Izalci Lucas ( PSD/DF), pelo centro-direita, e pela esquerda Rubens Otoni (PT/GO), Érika Kokay (PT/DF), Chico Vigilante (PT/DF), Arlete  Sampaio (PT/DF), Wilmar Lacerda (PT/DF), entre outros, certamente não acreditaram nos que não deixam lastros, mesmo tendo passado pelo poder.
          Enquanto isso, outros líderes permanecem para sempre no imaginário popular, mesmo não tendo exercido efetivamente o poder, principalmente o Poder Executivo. São aqueles que só fizeram o bem pela região, por meio da generosidade e competência, mas não alcançaram o poder, por um erro de estratégia, ou não estava na hora determinada por Deus. 
Dona Iris, Adolfo Lopes e Iris Rezende, preocupados com Valparaíso pós Pandemia da Covid 19

          Uma dessas lideranças que começa a reaparecer com muita força é o ex-vice prefeito de Valparaíso em Goiás, Adolfo Lopes (PRTB). Lutador incansável, sempre ao lado da companheira Palmelina, Adolfo é um homem que tem a família como a maior referência da humanidade. Dono de um currículo invejável, pois é auditor aposentado do GDF, formado em Direito, Economia, Administração de Empresas e Pedagogia,  o  ex-vice-prefeito de Valparaíso já foi secretário do saudoso governo Joaquim Roriz e contribuiu na divisão do Estado do Mato Grosso do Sul, onde foi também secretário de Estado. 
          Adolfo foi vice-prefeito de Leda Borges, quando se elegeram em um dos pleitos mais disputados da história de Valparaíso, quando a parceria de Adolfo foi fundamental e estratégica para a vitória da tucana, que graças a essa vitória e a boa administração que fez com a colaboração de Adolfo, se firmou como política e se reelegeu prefeita e ainda conquistou dois mandatos como deputada e foi sem dúvidas uma das mais competentes secretárias do então governador Marconi Perillo (PSDB).
          Alcançado pela reportagem do site Bom dia Goiânia, Bom dia Minas Gerais, Formosa nas Entrelinhas e Brasil Notícias, Adolfo Lopes foi cordial como sempre. Perguntamos por sua saúde, sua situação jurídica, caso participe da eleição de 2020, bem como o seu projeto político na eleição que deverá ocorrer no dia 6 de dezembro. Ele respondeu sem pestanejar: "Como político ficha limpíssima e sem nenhum problema jurídico que me impeça de concorrer nas urnas em 2020, tenho recebido convites irreveláveis. Minha saúde nunca esteve tão boa, o nosso Deus tem sido muito generoso comigo, pois a minha companheira de décadas, a Palmelina, continua a me incentivar no dia a dia e na atividade que adoro, que é a política usada para fazer o bem para o próximo. Após a pandemia da covid 19, acredito que a eleição de 2020 será o pleito em que valerá a história, o caráter e o preparo e conhecimento de gestão.    E mais, acredito que depois da pandemia o povo saberá definir melhor o perfil para administrar a nossa sofrida Valparaíso!

Dona Palmelina e doutor Adolfo, de bem com a vida e em um momento de descontração

          Sou filho de um militar que veio para Brasília acompanhando o doutor Juscelino Kubitschek e de uma pianista muito querida e admirada por familiares e alunos. Talvez por isso eu tenha sabido unir a razão, determinação e responsabilidade com a sensibilidade. Caso eu receba o chamamento do vice-presidente Mourão, que lidera politicamente o meu partido no país, ou meu governador Ronaldo Caiado e outros líderes como o senador Izalci Lucas do DF e meu amigo Iris Rezende Machado; estarei pronto para ser novamente candidato a prefeito de Valparaíso que amo muito, ou compor com algum nome que tenha o apoio do povo e seja de nosso segmento, centro-direita", concluiu Adolfo Lopes. 
          Como se vê, Adolfo Lopes está no páreo na disputa para prefeito de Valparaíso. Com sua experiência, preparo intelectual e discurso forte que empolga o povo, além de seu bom relacionamento em Brasília e Goiás, doutor Adolfo é um dos quadros mais preparados que poderá ajudar  Valparaíso a se desenvolver e enfrentar a pandemia, que não sabemos se terá fim ainda neste ano!

0 comentários:

Postar um comentário