quarta-feira, maio 06, 2020
0
Marcos Garzon é autor de 105 livros. A sua próxima obra será lançada na Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro


Conforme os cientistas, a humanidade teve origem no berço da Mãe África, espalhando-se através de um longo tempo pelo planeta, formando todos os povos, através dos processos evolutivos.
Um trabalho exaustivo e fantástico dos ritos da natureza no seu incansável trabalho de criatividade e aperfeiçoamento de todas as formas vivas.
Partindo tudo, estruturas minerais, flora e fauna, seres humanos, pelas mesmas exaustivas etapas que levam o carvão a virar um diamante puro.
Assim, nossa Mãe Natureza África a todos nós gerou, e brilhará para sempre como a fonte geradora de todos os seres humanos.
Contudo, como Mãe desconsiderada pelos filhos, vem sofrendo demais através do tempo. Sim! Muitas dores desde os partos iniciais até o presente, passando por incontroláveis explorações das suas riquezas naturais; pelas forças colonizadoras dos autodenominados civilizados, apenas na aparência, selvagens na essência; pelos horrores da torpeza escravagista; pela dizimação da fauna e toda a sua exuberância de animais; pelos que vieram com seus conceitos religiosos, portadores da verdade, que não se importaram em conhecer o sensacional prisma da verdade vivenciada e praticada pelos habitantes locais; e pela cultura que esses pretensos civilizados trouxeram  e impuseram a todos os africanos.
E o tempo foi passando! E a maioria dos que se consideram e são chamados afrodescendentes não compreendem que todos nós, brancos, amarelos, vermelhos e negros, somos verdadeiramente afrodescendentes!
A maioria da raça negra, homens e mulheres que se consideram como os únicos afrodescendentes não se preocupam com a Mãe África, adotando apenas ares, cabelos, roupas, maneirismos, mas não participam de movimentos ou ações para o benefício e desenvolvimento dos povos africanos. Nem se envolvem com a poderosa força religiosa dos ancestrais - os Orixás - que existem e vivem no outro verso cósmico, paralelo ao nosso, conforme citei no meu livro O PLURIVERSO, que escrevi e registrei na Biblioteca Nacional em 1994. Uma percepção pluriversal e pluridimensional absolutamente sensacional que eles têm!
Celebridades nacionais e internacionais, grandes nomes, como o ex-presidente Obama, que perdeu o tempo e a oportunidade de levantar e tremular bem alto a Bandeira África, que poderiam movimentar fantásticos volumes de recursos para ajudar os nossos semelhantes naquele continente, não movem uma palha pra nada! Só perfumarias e abstrações teóricas! E a sede, a fome, as doenças obrigando milhões de seres humanos a peregrinar através de imensas migrações e sofrimentos inenarráveis!
Os países desenvolvidos erraram, porque buscaram apenas explorar o máximo possível a África, mandando até seus lixos atômicos e eletrônicos pra lá, em vez de investirem para o desenvolvimento agrícola e industrial da região, procurando manter aqueles seres humanos em seus países e não serem obrigados a pressionar para os receberem, para escaparem também de ditadores terríveis. 
Aparências! Superficialidades! Artificialismos! Frivolidades!
Enquanto que a realidade africana é brutal, com miséria extrema, cercada de riquezas, belezas, um excepcional panorama religioso e cultural.
Mãe! Mãe África, nos perdoe! Como disse um elevado peregrino do Cosmo pelo nosso planeta - Eles não sabem o que fazem! Nós não sabemos o que fazemos!
Ainda não aprendemos a praticar, a materializar o amor fraternal de Cristo, vivenciando-o, no máximo, muito mais fácil, na sua parte teórica!

0 comentários:

Postar um comentário