segunda-feira, janeiro 18, 2021
1

 

 Estrelas do programa The Voice +

Por:  Walter Brito

Nos países desenvolvidos, especialmente no Japão, a alta idade é valorizada pela experiência acumulada ao longo dos anos. 

Oscar produziu de forma genial até os 102 anos


Evidentemente que um Oscar Niemayer, que morreu aos 104 e produziu até os 102, não tinha nessa fase da vida a mesma facilidade e paciência de passar para seus comandados suas ideias geniais para melhorar a arquitetura do mundo, como em 1956, quando começou a construir Brasília aos 49 anos, e em pleno vigor de sua criatividade aos 38 anos, quando ajudou a projetar a sede da ONU em Nova York. Ainda assim, aos 102 anos, os que beberam de sua sabedoria e tiveram a humildade e paciência para entender que Niemayer, embora ancião, continuava genial e aprenderam com o pai da arquitetura parte significativa de suas vidas profissionais, sabem que valeu a pena. Muitos deles estão vivos e reproduzindo o aprendido como o velho mestre.

Boni continua genial aos 85 anos


Outro dia li uma matéria, dando conta de que José Bonifácio Sobrinho, o Boni, do alto de seus 85 anos de idade, continua sonhando com uma televisão cada vez melhor e afirmou com todas as letras que a Globo precisa de renovação urgente. Argumentava o velho cacique da comunicação brasileira que ajudou a erguer a TV Globo, um dos maiores impérios da comunicação do planeta Terra, a que dedicou 30 anos de sua vida e criou o Padrão Globo de Qualidade. “A TV Globo está ultrapassada e precisa mexer mais na grade. Se estivesse operando, já teria mexido nessa grade. Este modelo está vencido e obsoleto. Não é uma questão de concorrência, mas de estratégia. É preciso rever, não ficarem num passado que foi glorioso e dependendo dele”, disse. A referida entrevista ocorreu em 30/11/2020.

Legenda: Simonal dividiu o Maracanãzinho em dois cantando País Tropical


 Vale acrescentar ainda que Wilson Simonal foi meu amigo, no período em que dirigi a Fundação Palmares. 

Íris foi prefeito em Goiânia até os 86 anos de idade. Gregori continua produzindo aos 90 anos

Naquela ocasião estivemos diversas vezes com os ministros da Justiça Iris Rezende e depois com José Gregori, sempre na busca do Habeas Data, que o livraria da pecha de dedo-duro da ditadura, o que prejudicou sua carreira artística e permitiu que um dos ícones da música brasileira morresse na miséria. O Habeas Data saiu após sua morte. O próprio Simonal me disse em minha casa, onde ele ficava hospedado no DF nos últimos anos de sua vida, que  o único poderoso na área comunicação no Brasil, no início da década de 60  e antes da existência da TV Globo, que entendia efetivamente sua importância para a música brasileira e o reconhecia como o maior showman do Brasil, acima de Roberto Carlos, era o José Bonifácio Sobrinho. E mais, disse-me Simonal que, já trabalhando na todo-poderosa empresa dos Marinho, o Boni dizia que a televisão precisaria de muitas Ruths de Souza e Glórias na dramaturgia e no jornalismo.

O Boni nos anos 60 já previa a participação efetiva do negro na televisão. Na foto Maju e Heraldo Pereira


 De fato, depois delas, apareceram já diversas Majus e Heraldos na comunicação nos últimos anos e em todas as emissoras nos quatro cantos do Brasil.

os sessentões Evinha do Forró e José Mariano arrebataram os corações de brasileiros de todos os cantos


Eis que, hoje 17 de janeiro de 2021, domingo, ao assistir ao programa musical da Globo The Voice +, cujos participantes são maiores de 60 anos, eu me emocionei e lembrei-me da entrevista com o Boni no ano passado. O reality musical para talentos a partir 60 anos, cuja apresentação é de André Marques, com Thalita Rebouças nos bastidores, arrebentou a boca do balão e mexeu com o Brasil inteiro que tem 33 milhões de pessoas com 60 anos ou mais, o que representa 15% do povo brasileiro, que na verdade é a maioria da população que morre de coronavírus, o que significa que 85% dos mortos pela devastadora doença está acima de 60 anos.

Esta população que está triste, agora está sendo animada pela vacina contra a Covid 19 que começou em São Paulo neste domingo 17/01, quando foi vacinada a enfermeira afrodescendente de 54 anos, Mônica Calazans, e a competência e o carisma dos técnicos do programa The Voice +, os cantores Daniel, Ludmila, Mumuzinho e Cláudia Leite. De todos que se apresentaram, sempre com muito talento, os que mais me emocionaram foram os cantores Evinha do Forró, 61 anos, de Piracicaba São Paulo. Ela vive da música e interpretou a bela canção Mangaio e, na sua história, a artista desconhecida do grande público já superou até um câncer. O outro foi o afrodescendente de São Bernardo do Campo-SP, José Mariano, que tem 64 anos e interpretou de forma magnífica a música A Lua e Eu de Cassiano.

Na minha opinião, o programa  incentiva em todo o país nem só os cantores que estão tendo a oportunidade de se tornarem famosos aos 60 anos, mas os 33 milhões de brasileiras e brasileiros que se sentirão capazes de exercer diversas atividades, começando com um número enorme de compositores Brasil afora, que são muito bons, mas nunca tiveram oportunidade para mostrarem suas belas canções que estão engavetadas há décadas. Certamente o programa incentiva maiores de 60 anos a assumirem postos de trabalho na inciativa privada e pública, como também a essa grei populacional sobrevivente da Covid 19 a se interessar mais pela vida, pela saúde de qualidade, pela volta aos bancos escolares, pelas diversas modalidades de esportes, pelos exercícios físicos diários e até pela política partidária, quando poderão, por meio de seus conhecimentos, ajudarem a nortear um novo Brasil.

Neste sentido, com vistas ao pleito eleitoral que se avizinha, surgiu nas redes sociais neste final de semana o famoso chapão 22, em que dois idosos que passam dos 80 anos estão em destaque, o vereador Paulista Eduardo Suplicy e o ator carioca e presidente do Sindicato dos Artistas do Rio de Janeiro – Sated, Jorge Coutinho. Veja o Chapão 22 completo: Para presidente da República: o ex- juiz Sérgio Moro (sem partido) e  para vice-presidente, o senador Reguffe (Podemos); para governador de São Paulo: Eduardo Suplicy  (PT) 80 anos,  e vice-governadora: Eunice Prudente (sem partido)  73 anos; para governador do Rio: Ator Jorge Coutinho (sem partido) 86 anos,  para vice-governadora: Mônica Benício (Psol);  para governadora de Brasília:  senadora Leila do Vôlei (PSB), para vice-governador:  Fernando Marques  (Solidariedade)  67 anos. Como se vê, a idade alta está sendo incentivada no Brasil neste momento crucial da pandemia, quando 210 mil brasileiros perderam a vida  para a Covid 19 e 8 milhões e 500 mil  estão infectados com o mal que devasta o mundo. O programa social da Globo e a chegada da vacina enchem o povo de esperança, especialmente os maiores de 60 anos.

 Parabenizamos a TV Globo pelo novo programa The Voice +, os artistas que se mobilizaram para salvar Manaus e o governador de São Paulo, João Dória, que saiu na frente e já começou a vacinar o nosso povo!

Moro para presidente da República e Reguffe para vice-presidente

Eduardo Suplicy para governador de São Paulo e Eunice Prudente para vice-governadora

 Ator Jorge Coutinho para governador do Rio e Mônica Benício para vice-governadora

 Senadora Leila do Vôlei para governadora de Brasília-DF e Fernando Marques para vice-governador


1 comentários:

  1. Será que o Reguffe vai dizerde quem ele é sobrinho? e porquê o tio que ele trabalhou no gabinete no senado estáusando TORNOZELEIRA?

    ResponderExcluir