sábado, setembro 25, 2021
0

Doutor Mário Gilberto apoia  a doutora Alinne Marques para presidir a OAB/DF

                                     

Por  Walter Brito             

          O título da matéria já diz tudo - mas a importância da história do meu amigo de infância, Mário Gilberto, é tão forte e significativa para mim e para muitos de nossa terra natal – Formosa-GO, que antes de adentrar o assunto que a manchete anuncia gostaria de pedir licença para contar um pedacinho da sua história. Nesta seara, o sucesso do amigo e sua majestade estão ligados de forma especial à sua ancestralidade. Diz o ditado popular o seguinte: "Quem foi rei nunca perde a majestade".  

 Na foto, o doutor Mário Gilberto, Paulo Lino, a advogada agrária - Alinne Marques, a advogada- dra. Carla Danielle ( filha do doutor Mário Gilberto); e o doutor John Kennedy

          Os conhecedores da matéria são categóricos em dizer que aquela ou aquele que teve uma educação esmerada ou já exerceu cargos de alto nível nunca deixará perder a sua dignidade se de fato a conquistou.  Eu fui criado dentro de uma alfaiataria e o doutor Mário também, pois éramos os primogênitos de nossas famílias cujos pais eram alfaiates do primeiro time. O mesmo concurso de admissão ao Ginásio, que eu prestei no GAP em 1967 e passei em primeiro lugar, o doutor Mário passou também em primeiro lugar em 1968, no arrojado Ginásio Arquidiocesano do Planalto, dirigido por freis holandeses na pacata cidade de Formosa, distante 90 km do Palácio do Planalto em Brasília. Como fui criado dentro de um atelier de alta costura masculina - com 11 anos de   idade venci um concurso de trabalhos manuais no Grupo Escolar Americano do Brasil, quando confeccionei um paletó masculino em miniatura com as mesmas regras da confecção para adulto, eis que aos 14 anos - quando o meu pai Vespa foi passar uma temporada em Brasília trabalhando em uma importante casa de alta moda masculina - trabalhei por três meses com o pai do doutor Mário, o Sr. Benoni. O Mário, que só pensava em estudar, vez ou outra aparecia na alfaiataria do Benoni com sua bicicleta amarela, cheia de livros na garupeira. Ele ia lá para ouvir os sábios conselhos do pai, que embora com pouca  escolaridade, entretanto era inteligentíssimo e músico de proa da Banda de Música de Formosa, sob a batuta do maestro João Luiz.   

 - Benoni - pai do doutor Mário Gilberto é o quarto da segunda fila (identificado com o círculo) - Banda furiosa de  Formosa- sob a batuta do maestro João Luiz


                Logo que mudei para Brasília, aos 15 anos de idade para fazer o Científico no Colégio Elefante Branco, eu soube que Benoni tinha abandonado a profissão de alfaiate, pois fora nomeado como oficial de justiça - por onde se aposentou. Nesse dia comemoramos em Brasília a vitória do ex-patrão - quando brindamos no Beirute da 109 Sul. "Viva o meu ex-patrão Benoni, pois ‘quem foi rei nunca perde a majestade’".  Fiquei feliz com a nova função do amigo de meu pai e, por três meses, um excelente patrão. Meu pai trabalhou durante cinco anos como contramestre do estilista Linhares e outros alfaiates famosos no DF. Quando ele voltou para Formosa e montou novamente sua alfaiataria, sua propaganda nas rádios de Formosa repetia o refrão: "Quem foi rei nunca perde a majestade - Alfataria Veste Bem - O Homem Faz a Roupa e a Roupa Faz o Homem".                           

          Certa vez o amigo Mário Gilberto me revelou que quando ele passou aos 18 anos em primeiro lugar no concurso do Banco do Brasil em Formosa - o concurso mais concorrido e almejado por qualquer jovem de nosso tempo - ele foi à feira municipal de domingo com o pai.  Como o Benoni era um gentleman, dava atenção a todos que o cumprimentavam pela vitória do filho. No final ele respondeu a um interlocutor: "A vitória do meu filho no Banco do Brasil é só o começo de sua trajetória, que será coroada de sucesso". Benoni, que foi vereador em Formosa, um excelente juiz de futebol e cartola ao lado de meu pai Vespa, do Formosa Esporte Clube - comandado pelo contador de proa Paulo Saad, filho do lendário comerciante Libanês Ibraim Jorge -, o pai do Mário foi profético ao prever o sucesso do filho, pois Mário alçaria voos mais altos que o pai imaginara, dado que o menino pobre do bairro da Formosinha foi um predestinado. 

Dois amigos do doutor Mário Gilberto: o ex-presidente do Supremo - Maurício Corrêa e o amigo de infância e jornalista Walter Brito ( Bacharel em Direito)

          Ele construiu uma história sólida na advocacia, onde é um dos maiores nomes do país no Direito Fundiário e Ambiental. Contudo, o grande jurista anda meio triste. Nesta pandemia ele teve perdas irreparáveis, quando seus amigos e sócios, os doutores Valdi Cardoso e Sérgio Alberto perderam a vida para a Covid-19.  Hoje ele está trabalhando em casa ao lado da família e distante dos grandes movimentos presenciais da advocacia. Todavia, quando perguntei se ele apoiaria a jovem advogada Alinne Marques, filha de outro grande amigo dele, para presidir a OAB /DF, o advogado de 66 anos animou-se e não tergiversou, dizendo: "Meu amigo Walter Brito, trabalhei com muita honra com o advogado Maurício Corrêa, que foi meu amigo e meu incentivador na advocacia. Maurício Corrêa, antes de se tornar senador, ministro da Justiça e presidente do STF - Supremo Tribunal Federal - foi quatro vezes presidente da OAB/DF, ocasião em que construiu nossa sede - e se não me engano foi ele também quem construiu a sede do PDT, ao lado do Congresso Nacional. Era um advogado brigão e realizador. Na OAB/DF Maurício fez uma excelente administração, valorizou o advogado e enfrentou o general Newton Cruz na ditadura militar. Alinne Marques tem a idade de minha filha, a advogada Carla Danielli. Agora é a vez dos advogados novos que tenham compromissos com todos os segmentos da advocacia, inclusive os advogados das seccionais. Tenho a convicção de que Alinne Marques tem o melhor projeto para administrar a OAB-DF dos novos tempos. Estou com ela", concluiu o doutor Mário Gilberto.       

O senador Izalci Lucas - disse que o doutor Mário Gilberto é o maior conhecedor da legislação referente ao tema: terras em Brasília e no Brasil

                               

          Alcançamos o senador Izalci Lucas (PSDB-SP) participando de uma movimentada sessão no plenário do Senado, quando pedimos que falasse sobre a trajetória vitoriosa do doutor Mário Gilberto. Ele nos respondeu de imediato e dizendo: "O Mário é sem dúvidas o grande advogado brasileiro que sabe tudo de terras em Brasília e em diversas partes do Brasil. Ele nos ajudou muito na elaboração da Lei 13465 - fruto da MP da regularização fundiária no Distrito Federal. Ele é inimitável no que se refere à análise profunda da legislação. Trata-se de um excelente advogado e ser humano correto, bom caráter e merecedor da trajetória vitoriosa que alcançou por meio do Direito", encerra o senador Izalci Lucas ( PSDB -DF).

          Desejamos sucesso à doutora Alinne Marques, que cresce a cada momento em que conhece uma advogada ou advogado de qualquer área da advocacia e de todos os cantos do Distrito Federal. Sobre o apoio do doutor Mário Gilberto, Alinne afirmou: "Deus é misericordioso e generoso. Receber o apoio do doutor Mário Gilberto, da filha; a advogada Carla Danielli, e de todo o seu staff na advocacia, além de seus parceiros e amigos operadores do Direito, obviamente é uma satisfação imensurável. Obrigada por tudo, doutor Mário. Saberei valorizar pelo resto de minha vida a sua coragem de colocar toda sua história a favor de meu projeto para renovar a OAB/DF. Deus lhe pague", concluiu Alinne Marques!

0 comentários:

Postar um comentário